Canadá é um dos países com a melhor pontuação na luta contra a corrupção

 

Como qualquer outro país no mundo, o Canadá não está completamente imune a corrupçãoMas, como se diz em francês:“Quand on se compare, on se console”.

No atual contexto global, marcado pelo populismo e da desigualdade, o Canadá conseguiu estar entre os países com menores problemas ligados à corrupção.

É o que diz a mais recente edição do índice de percepção de corrupção produzido  a cada ano pela Transparency International, que visa medir até que ponto este problema abala os países de um lado a outro do planeta.

O Canadá ganhou a nona melhor posição dos 176 países analisados pelo instituto, semelhante ao obtido nos últimos anos. O topo da lista é dominada pelos países do norte da Europa e alguns do Pacífico.

 

 

 

De fato, entre os 20 melhores países em termos de como lidar com a corrupção, o continente americano é representado apenas pelo Canadá e o Estados Unidos.

 

Dinamarca e Nova Zelândia permaneceram amarrados no primeiro lugar na luta contra a corrupção, com uma pontuação de 90. Finlândia, Suécia e Suíça completaram o top 5 da lista.

 

Por outro lado, a Somália foi o pior país em termos da luta contra a corrupção. A maioria dos países que figuram os últimos 10 lugares são da África ou do Oriente Médio , com a exceção da Venezuela, que ficou em 166 fora de 176.

 

Transparency International classifica os países do mundo por dar-lhes uma pontuação entre 0-100 . Quanto mais próximo de 100 isto significa que nesse país a percepção de corrupção é menor. De acordo com a agência, para a edição de 2016 que foram analisadas 13 fontes de dados de 12 instituições diferentes dedicadas a análise da corrupção e os vários fatores que os afetam.

 

 

Um problema global

Os autores do estudo estão um pouco pessimistas, acreditando que existe no mundo uma “corrupção sistémica e desigualdade social se reforçam mutuamente.”

Em 69% dos países obtiveram uma pontuação abaixo de 50, o que significa que a maior parte do planeta está afetado por problemas de corrupção.

 

Transparency International também diz que um círculo vicioso foi implementado na política mundial. Funcionários têm pouca credibilidade, o que leva a decepção nas pessoas, o que faz delas vítimas de opções populistas, que são apresentados como soluções para o desencanto geral, mas uma vez no poder eles não fazem nada para acabar corrupção.

 

“Em muitos países, as pessoas são privadas de suas necessidades mais básicas e vão para a cama com fome todas as noites por causa da corrupção, enquanto o poderoso e corrupto gozam impunemente de uma vida de luxo,” disse Jose Ugaz, presidente da Transparency International.

 

 

O caso das Américas

Foi um ano de muito trabalho nas Américas. Desde os Panama Papers ao escândalo Odebrecht e a situação no Brasil, bem como o caos contínuo em que estão países como a Venezuela, fizeram o continente registrar péssimos resultados globais.

Apenas o Canadá , em nono lugar, e o Estados Unidos, em 18º, conseguiram  levantar um pouco a pontuação média, que era de 44 entre 100. Venezuela manteve-se em último lugar com a pontuação de apenas 17.

Da mesma forma, o México perdeu cinco pontos em relação a 2015, o que representa a maior queda entre todos os países da América.

Uruguai e Chile em destaque na posições 21 e 24 respectivamente, enquanto a Nicarágua (posição 145), em conjunto com a Venezuela, foram os piores resultados foram entre os países latino-americanos.

Brasil se encontra na posição 79 com a pontuação de 40.

 

Veja a lista completa no site oficial do Transparency International clicando aqui.

Fonte: http://nmnoticias.ca/179751/transparency-international-canada-lista-corrupcion-2016/

 

Fale com a MJ Consultoria: contato@mjconsultoria.com.br